Com vista pro mar

Carmem sempre teve problemas respiratórios. Desde novinha, foi impedida de ter cortinas e tapetes em seu quarto porque acumulavam muita poeira (e ela adorava as cortinas floridas). Também precisou ver embora os ursinhos da prateleira sobre a cama, alguns que ela tinha desde o nascimento. Foi um golpe muito duro para uma criança tão nova – afinal, como explicar para uma menina de oito anos que aqueles bichinhos tão fofos faziam mal para sua saúde? Também doeu no coração dos pais, mas não tinha outra saída. À medida em que foi ficando mais velha, Carmem continuou com seus problemas de saúde – que na verdade, pioraram bastante. Sua cidade ficava numa região serrana do estado e por isso a variação térmica era sempre muito grande. No inverno, a temperatura média era de nove graus e ela sofria muito nesse período. Por fim, seu pneumologista ditou: “seria melhor se você morasse no litoral”.

Veneziana 3 Folhas

 

Carmem já era formada e se lembrou de um convite feito por sua irmã mais velha, para morarem juntas. A família tinha um terreno numa cidade capixaba e elas poderiam construir suas casas ali. Pronto, estava decidido. Ligou para a irmã, conversaram e, três meses depois, estavam iniciando as obras. Por causa das doenças de Carmem, as janelas que usaram precisariam ter, obrigatoriamente, um anteparo próprio, para evitar a necessidade de cortinas. Elas escolheram venezianas de alumínio de três folhas: duas de alumínio, para manter a privacidade, e uma de vidro, para nunca perderem o mar de vista.

Prático e elegante

As portas e janelas de alumínio, na verdade, são o pulo do gato em várias situações, e não só para quem tem problemas respiratórios, como Carmem. O alumínio é um metal extremamente prático pois não apresenta problemas de corrosão típicos que acometem portas e janelas de ferro e mesmo as de madeira, que podem apresentar estufamentos com a umidade. Essa resistência dispensa o uso frequente de óleo nas dobradiças, renovação de verniz e de zircão anti-ferrugem, por exemplo. Um simples pano seco (ou úmido, se a sujeira aderida for maior) já basta para deixar a peça limpinha outra vez.

Outra vantagem deste tipo de porta e janela é o tamanho dos vidros. Como as esquadrias se mantém resistentes mesmo com largura reduzida, os vidros podem ter grandes dimensões, o que permite uma tremenda entrada de claridade natural. Com isso, além de ter a vista do lado externo da casa (no caso de Carmem e sua irmã, uma vista estonteante), economiza-se na conta de luz, já que vai demorar mais tempo para a casa ficar escura a ponto de precisar de iluminação artificial.

Do lado de dentro

As irmãs também acabaram utilizando o alumínio no interior de suas casas. Na divisão entre a cozinha e a área de serviço, instalaram portas-balcão de alumínio, de forma que a claridade da área externa entrava pela cozinha e a deixava bem mais clara, juntamente com a janela basculante de alumínio que ficava sobre a pia.

Carmem e sua irmã tinham muitas coisas em comum, e uma delas era que nenhuma das duas queria que a cor do alumínio aparecesse. Assim, optaram por portas e janelas que já saíam de fábrica com acabamento liso (sem aqueles frisos típicos de portas de alumínio) e branco. Você precisa ver como esse acabamento se integra bem com o restante da casa! Já que não podia com cortinas, Carmem pendurou uma série de pequenos vasos que pendiam em frente às janelas, dando um ar muito gracioso aos ambientes – na cozinha, esses vasinhos tinham ervas aromáticas e temperos . Sua irmã instalou cortinas falsas de crochê que ela mesma bordou.

A solução para um problema de saúde acabou se tornando parte da decoração da casa. Por isso as portas e janelas de alumínio têm aparecido em tantas casas!